Login Accedi ^
Italiano
Registrati
Registrati su Weekeep! Trova i tuoi amici di Facebook, organizza i tuoi viaggi e visita oltre 1.000.000 eventi in tutto il mondo!
Accedi con Facebook
Accedi con Google+
Facebook Google+
X
RISULTATI
MAPPA
DETTAGLIO
$mapTile_Titolo
$mapTile_Immagine
$mapTile_Indirizzo
$mapTile_LastMinute
$mapTile_Durata
Località
Dormire
Mangiare
Offerte Speciali
Eventi
Mostra tutte le 7 categorieMostra meno categorie
Mostra tutte le 11 LOCALITAMostra meno località
Mostra tutte le 23 sistemazioniMostra meno sistemazioni
PREZZO : da € a
OSPITI :
CAMERE :
STELLE : da a
Mostra tutte le 13 categorieMostra meno categorie
Mostra tutte le 13 categorieMostra meno categorie

Gracinha Horta e Ezequiel Lima convidam Toninho Horta e Laércio Villar

Livraria Status Savassi Belo Horizonte - Minas Gerais, Brasile
Google+

Numa atmosfera musical de ponta, na noite de BH, o Projeto Aqui-Ó Jazz apresenta, a partir dessa segunda-feira, 28 de abril, às 22h, a Noite dos Músicos, Status Livraria, Café & Cultura (Rua Pernambuco 1.150 – Savassi – BH – MG).

Durante um mês, a partir da estréia, Gracinha Horta e Ezequiel Lima lideram um quarteto, em show principal abrindo para canjas dos músicos, na sequência do show. A dupla terá convidados semanais. A abertura trará o guitarrista Toninho Horta, criador do projeto e o baterista Laércio Villar.

Entrada: R$15,00 (quinze reais). Informações adicionais: (31) 3261.6045

O projeto Aqui-Ó Jazz apresenta programação de abril na Status Livraria, Café e Cultura. Após dois eventos que tiveram grande repercussão de mídia e público – o aniversário de 80 anos “In memoriam” de Paulo Horta, em dezembro e, o lançamento do livro “Se Minha bateria Falasse” com o internacional percussionista Robertinho Silva, o projeto seguirá sua já consagrada linha de eventos especiais, toda última quinta do mês.

GRACINHA HORTA

Cantora desde os 15 anos, Gracinha Horta iniciou sua carreira em Belo Horizonte, como crooner de grandes orquestras da época, se apresentando no PIC, Iate Tênis Clube, Minas Tênis Clube, entre outros.Com um repertório eclético e de alto nível Gracinha Horta interpreta grandes compositores, indo do samba ao jazz, passando pela bossa nova e consagrados nomes do Clube da Esquina como Milton Nascimento, Toninho Horta e Lô Borges.

Em 1970 mudou-se para o Rio de Janeiro onde fez grande sucesso cantando em casas noturnas indicada por sua amiga Leny Andrade.Numa das principais casas noturnas cariocas, o “706” Gracinha Horta dividiu o palco com grandes nomes consagrados da MPB, Emílio Santiago, Djavan e Alcione. Apresentou-se em importantes espaços artísticos das noites cariocas, como Hotel Nacional, Sheraton e o maestro Eduardo Lage, maestro de Roberto Carlos, além de ser uma das principais solistas do Coral da “Orquestra Tabajara” com o maestro e compositor Severino Araújo. No iate Lê Bateu, Gracinha Horta dividiu o palco com o mestre da Bossa Nova, Tom Jobim e Johnny Aff numa temporada de 8 meses em 1979. De volta a Belo Horizonte, em 1980, Gracinha Horta, atuou em várias casas noturnas, em especial o Cabaré Mineiro. No Espaço Cultural Aqui-ó realizou vários shows com participações de Toninho Horta, Juarez Moreira, Ezequiel Lima, Washington entre outros músicos mineiros de grande importância.Gravou a música “Beijo Partido”, autoria de Toninho Horta no CD “Simples”, um projeto somente com cantoras mineiras convidadas pelo produtor Nestor Santana. Com a aprovação do Projeto de gravação do CD “Nos Tempos do Paulinho”, CA viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura do Estado de Minas Gerais em fase de captação, Gracinha Horta se prepara para gravação do primeiro disco.


EZEQUIEL LIMA

Quando tinha 18 anos e montou sua primeira banda, Os Intrépidos, o belo-horizontino Ezequiel Lima teve de fazer uma opção: trocar o violão, que até então era de sua predileção, pelo contrabaixo, instrumento que faltava para completar o grupo musical. "Tocávamos no 'Braza Quatro' , programa da TV Itacolomi. Era bom demais", lembra o músico.

A escolha do instrumento foi acertada. Lançou o primeiro CD, Outra História, em 2000 e soma em sua carreira a participação em projetos fonográficos e acompanhamento de vários artistas, como Marku Ribas, Toninho Horta, Juarez Moreira, Dominguinhos, Elza Soares, Elis Regina, Cauby Peixoto, Luiz Carlos Vinhas, Beto Lopes, Célio Balona, Marilton Borges, Bob Tostes, Maurício Tizumba, Paulinho Pedra Azul, Chico Amaral, Flávio Henrique, Vander Lee e muitos outros.

Em 2002 foi um dos vencedores do Prêmio BDMG-Instrumental, na categoria composição. Continental Dancing, uma das três músicas premiadas em 2002, dá nome ao recente CD, gravado em 2011 com recursos da Lei Estadual de Incentivo, patrocinado pela Vivo. O disco é uma homenagem ao pai, o saxofonista Antônio Lima Sobrinho, conhecido como “PrÍncipe”, dono de uma casa de gafieira na década de 60, na rua Guaicurus. Ezequiel Lima é autor de todas as faixas do CD.


Assessoria em Comunicação e Imprensa: Márcia Francisco

Veniteci a trovare
il 29 aprile 2014

Che Tempo fa

Recensioni

Caricamento...
Caricamento...
In questa zona i nostri Partner offrono: